NOS SIGA

SEARCH SITE BY TYPING (ESC TO CLOSE)

Rua Coronel Oscar Porto, 691 - Paraíso, São Paulo – SP
+55 11 3849 0050

Skip to Content

Blog Archives

COMO TRATAR A FLACIDEZ ÍNTIMA

Quando o assunto é a intimidade, várias mulheres se sentem constrangidas em comentar sobre seus problemas, mesmo sentindo que alguma coisa está interferindo em sua vida sexual. Este é o caso de mulheres que se deparam com flacidez nos grandes lábios vaginais.

Com o tempo e a idade vai acontecendo o envelhecimento da vagina, como das outras partes do corpo. Nestes casos é comum a mulher perceber que está com os grandes lábios murchos. Com isso, a mulher perde grande parte da sensibilidade na hora do ato sexual, podendo desenvolver bloqueios que influenciam na perda da libido e do desempenho sexual.

Mas se você apresenta flacidez dos grandes lábios vaginais há tratamento para esse problema e quem melhor pode direcioná-la é o médico ginecologista.

Procedimentos mais indicados no caso de grandes lábios murchos

O efeito fototérmico do Laser nas fibras de colágeno estimulam a neocolagenase com melhora na elasticidade e aparência da pele. Este método também é muito usado para flacidez na face.

O preenchimento de grandes lábios vaginais é indicado para quem tem frouxidão e flacidez vulvar, nesse caso é feita a reconstrução e o aumento dos grandes lábios, tratando a flacidez e deformidades.

Através de enxertos, além do preenchimento e reposição de volume, ainda há estímulo de produção de colágeno. Pode ser feito ainda na entrada da vagina provocando uma sensação de aperto e melhorando o desempenho e o prazer sexual.

A recuperação é tranquila e rápida. É comum sentir apenas algum desconforto por causa do inchaço no local.

Estes tratamentos devem ser realizados por um profissional ginecologista especializado, que é treinado para a realização destes tipo de procedimentos e é quem melhor conhece o corpo feminino.

Se você sofre com algum problema íntimo, deve procurar ajuda de um médico ginecologista para que possa indicar o procedimento mais adequado para o seu problema.

A Clínica Mais e sua equipe está sempre à disposição.
Até o próximo post!
Dra. Alyne Bordoni

READ MORE

Diu de Cobre x Anticoncepcionais

Como já comentamos no post anterior sobre os malefícios do uso dos anticoncepcionais hormonais só relembrando: o ⬆️ SHBG – carreador dos hormônios sexuais que leva a ⬇️ Testosterona com consequente ⬇️ Libido 😱 – ⬆️ Renina com estímulo à produção da aldosterona levando a Retenção de Sódio e Água (aumento de peso 😩) – ⬇️ anti-trombina III e ⬆️ PAI-1 favorecendo maior risco de TROMBOSE – Progestagenios ⬆️ RESISTÊNCIA INSULINICA E ⬇️ TOLERÂNCIA A GLICOSE, aumentado risco de desenvolver DIABETES.

Uma das soluções possíveis é o famigerado DIU de Cobre que iremos agora esclarecer algumas verdades e alguns mitos. Ele é um dispositivo confeccionado em plástico com suas hastes envoltas por Cobre.

O que é verdade sobre ele ?
✅ Atua impedindo a fecundação, logo NÃO é abortivo!
✅No primeiro ano a taxa de gravidez usando o DIU é de 0,6 para cada 100 mulheres, reduzindo ainda mais nos anos seguintes
✅ Dificulta a passagem dos espermatozoides
✅ Só precisa ser substituído a cada 10 anos
✅Os estudos mostram que a taxa de descontinuidade do método é bem menor do que as usuárias de anticoncepcionais orais
✅ Pode sim aumentar cólica e fluxo menstrual em algumas mulheres
✅Não interfere nas relações sexuais
✅ Por ser livre de Hormônio, não interfere na libido, nem no prazer (diferente dos anticoncepcionais)
✅ Pode ser colocado no consultório do ginecologista
✅ Não previne HIV ou outras DSTs

Agora alguns mitos 😱
❌ Não interfere na Fertilidade pois os efeitos são imediatamente reversíveis, a mulher pode engravidar tão rapidamente quanto aquela que nunca usou DIU (maior MITO de todos!!)
❌Não interage com outras medicações
❌ Pode ser inserido imediatamente após o parto ou aborto
❌ Diferente dos métodos hormonais o DIU de Cobre pode ser utilizado em pacientes tabagistas, com câncer de mama, História de infarto ou AVC, enxaqueca
❌Não atrapalha na relação sexual

Esclareça suas dúvidas com seu ginecologista. Nenhum post substitui uma consulta médica 😉

Dr. André Vinícius

READ MORE

Tudo sobre Rejuvenescimento Íntimo Feminino

Middle-aged woman laying in bed

Middle-aged woman laying in bed

FemiLift é um laser de Co2 com uma ponteira específica para tratamento da região íntima da mulher, que veio para revolucionar a vida da mulher moderna.

COMO FUNCIONA ?

• O laser restaura o trofismo vaginal e promove a contração do canal da vagina por meio de formação de colágeno de cadeias longas e elastina 😍

• Estimula a formação de novos vasos , com aumento na oferta de oxigênio e nutrientes ao epitélio vaginal, com evidente aumento da espessura e trofismo, além da lubrificação😱😱

QUAIS AS INDICAÇÕES ?

Para todas as mulheres que apresentem:

• Hipotrofia ou atrofia vaginal (relacionadas ou não a menopausa)
• Incontinência urinária de esforço (perda de urina ao espirrar ou tossir)
• Disfunção sexual, como: dor na relação, secura vaginal, baixa sensibilidade durante o ato sexual, dificuldade de atingir o orgasmo
• Rejuvenescimento vaginal e flacidez vaginal (sensação de vagina larga)
• Pós parto normal
• Pós radioterapia ou quimioterapia

QUAIS AS VANTAGENS ?

• Não há necessidade de anestesia, leve sensação de aquecimento
• Não necessita de hospitalização, é realizado no consultório médico
• A sessão leva em torno de 10-15 minutos
• Promove resultados rápidos e duradour
• Rápida recuperação, sem necessidade de afastamento das atividades

QUANTAS SESSÕES SÃO NECESSÁRIAS ?

· O protocolo consiste em 3 sessões, com intervalos que variam entre 3-5 semanas
· Porém os estudos já comprovam que não há downtime (perda dos benefícios já adquiridos com o tratamento caso o intervalo precise ser maior que 5 semanas)

DEPOIS DAS TRÊS SESSÕES , QUANTO TEMPO DURA O TRATAMENTO?

· Os estudos mostram que os benefícios alcançados após o tratamento permanecem por 12-18 meses
· Isso significa que após as 3 sessões iniciais, a paciente precisa fazer UMA ÚNICA sessão de manutenção anual.

O QUÊ OS ESTUDOS MOSTRAM SOBRE ESSE TRATAMENTO INOVADOR ?

· 87% das pacientes relataram aumento significante da contração vaginal, satisfação, lubrificação vaginal e orgasmo (Femopase-Lares, 2013)
A ÚLTIMA PERGUNTA… E VOCÊ , ESTÁ ESPERANDO O QUÊ PARA FAZER ESSE TRATAMENTO??

Aguardo vocês na Clínica Mais!
Dr. André Vinícius

READ MORE

Tensão pré-menstrual

tpm

Na TPM você fica irritada, depressiva e come chocolate compulsivamente? Você não está só nessa! Estatísticas mostram que 75% das mulheres sofrem com diferentes sintomas nesse período.

😱 Destas, apenas 5% necessitam de tratamento com medicamentos. Isso significa que mudanças simples na sua rotina pode amenizar os sintomas. Confira algumas dicas:

📣 Pratique atividades físicas – Os exercícios fazem bem para o corpo e a mente, pois liberam endorfinas, que provocam sensação de prazer, relaxam, ajudam no funcionamento do intestino e reduzem o edema característico do período. Mas atenção, o ideal é praticar exercícios moderados, pois tividades intensas podem agravar os sintomas.

📣 Alimente-se bem – A mudança de hábitos alimentares não deve se restringir ao período de TPM, mas evitar alguns alimentos pode aliviar os sintomas. Evite o consumo de café e seus derivados, reduza o sal da comida, evite doces em excesso e fuja do álcool. Consuma alimentos mais leves, com teor reduzido de gordura saturada e sal. Dê preferência para frutas, vegetais, grãos e alimentos diuréticos como a melancia, aspargos, salsa, agrião e morango.

📣 Sinta prazer – Sair da rotina pode ser uma ótima forma de mandar a irritabilidade para longe. Tire um dia para você! Durma bem, acorde disposta, faça uma caminhada, vá ao salão e não deixe de namorar. Apesar do momento não parecer propício, o sexo pode trazer muitos benefícios nesse período, pela liberação das endorfinas.

📣 Orientação médica – Cerca de 5% dos casos de TPM precisam de tratamento com medicamentos. Às vezes suplementos de cálcio, magnésio, vitaminas B6, B1, C e E, óleo de prímula e ácido gama linolênico estão entre os remédios naturais, mas o uso de diuréticos, anti-inflamatórios, ansiolíticos e antidepressivos podem ser necessários. Como os sintomas podem variar muito de uma mulher para outra, cabe ao médico decidir qual é a medida mais indicada. Agenda uma consulta.

READ MORE

Anticoncepcionais e depressão

Se você não via nenhuma relação entre os anticoncepcionais e a depressão, é preciso estar mais atenta! Um estudo da Universidade de Copenhague concluiu que mulheres que tomam anticoncepcionais com hormônios têm duas vezes mais chances de desenvolver depressão.

Esse estudo foi feito com mulheres, entre 15 e 34 anos, que não tinham diagnóstico prévio de depressão e foram acompanhadas durante 14 anos. O resultado é que as mulheres que tomavam contraceptivos hormonais tinham chances bem maiores de, posteriormente, tomar antidepressivos, sendo diagnosticadas como portadoras de depressão ou de transtornos de ansiedade.
Mulheres que tomam a pílula combinada tradicional têm 23% de chances de ter depressão, mas os piores aumentos ainda estão em outros métodos como:
Adesivo (risco 100% maior),
Anel vaginal (60%),
DIU com levonorgestrel (40%),
Mini-pílula só de progesterona (34%),
Pílula combinada (23%).

Infelizmente, os riscos à saúde mental ainda estão sendo subestimados por muitos médicos na hora de receitar.

Óbvio que ainda faltam estudos mais específicos que possam elucidar mais claramente essa relação, mas isso já é um alerta que precisamos cuidar melhor da saúde da mulher como um todo! Porque os contraceptivos são vendidos livremente em prateleiras de farmácias , o que causa uma falsa idéia de que são inofensivos! Precisamos ficar mais alerta! Procure o seu ginecologista e se informe mais sobre o tema.

Até a próxima!
Dr. André Vinícius

READ MORE