Fome Oculta: O mal do século

Você já sentiu fome de Zinco? Magnésio? Tiamina (vitamina B1)? Riboflavina (Vitamina B2)? Niacina (Vitamina B3)?

Certamente, se você mora no planeta Terra, não. Mas com certeza seu organismo já, e provavelmente você acabou comendo algumas calorias a mais a procura inconciente dessas substâncias indispensáveis para o funcionamento excelente do nosso organismo. Aquilo que você ingere é diferente daquilo que sua célula precisa pra funcionar. Sua célula precisa de mais de 40 vitaminas e minerais para realizar funções estruturais, funcionais e enzimáticas. Esses nutrientes participam do metabolismo das proteínas, carboidratos e gorduras, logo, a falta deles torna seu metabolismo ineficiente. Ocorre que em mais de 40 anos plantando no mesmo solo – junto com a monocultura, fizeram com que nossos alimentos ficassem pobres em alguns nutrientes, isso somado a produtos alimenticios “anti-nutrientes” que diminuem a absorção de vitaminas e minerais, fizeram segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), com que a Fome Oculta ou Fome Marginal seja encarada como um sério problema de saúde pública, atingindo mais da metade da população mundial e predispondo doenças crônicas como a obesidade e o câncer.

As dietas da moda bem como a falta de conhecimento da população fazem com que esses números apenas cresçam. Os sintomas são bastante variados, como: irritabilidade, alteração do humor e dores de cabeça, cãibras e dores musculares, queda de cabelos, unhas fracas, fraqueza, fadiga, alterações na pele e mucosa, perda de tônus muscular, hipersensibilidade/hiposensibilidade, insônia, arritmia, obstipação e ganho de peso. Foque atento!

Até o próximo post.
Dr. Pedro Andrade

Compartilhe essa postagem