5 erros para quem quer hipertrofia muscular

A hipertrofia muscular é um dos pilares para quem quer ter qualidade de vida e logevidade. O American Journal of Sports Medicine (2015) elegeu a musculação como o esporte mais importante para qualidade de vida e prevenção de doenças. Porém, existem alguns obstáculos que deixam mais distante o sonho de ter um corpo mais saudável e preparado. São erros comuns, mas que podem frustrar quem está disposto a mudar seu estilo de vida.

1- Desidratação: estima-se que 50% da população brasileira esteja com algum nivel de desidratação. Quando falamos de performance e saúde com excelência a hidratação parece ser um ponto chave. A desidratação faz com que nosso corpo ative vias catabólicas, aumentando o Cortisol e inibindo m-TOR, esse mecanismo de compensação faz com que percamos liquido do meio intracelular com a finalidade de restaurar a homeostase do organismo, fazendo com que percamos músculo. A desidratação ainda diminui hormônios anabólicos como testosterona, GH e IGF-1, favorecendo a perda de massa magra. Além disso, aumenta a fadiga, tanto pela diminuição das vias anabólicas quanto pelo desequilibrio de liquidos dentro e fora da célula.

2- Sono: Um estudo da Yale University (Sleep Medicine Center) mostrou que 1 a cada 6 pessoas no mundo apresenta algum disturbio do sono. Um sono de qualidade apresenta 4 fases, sendo que na segunda, há um pico na produção de GH e testosterona. O sono também ajuda a controlar os niveis de cortisol, hormônio altamente dispensável quando falamos de anabolismo muscular.

3- Inflamação Subclínica:
 quando ingerimos grandes quantidades de alimentos industrializados, ricos em carboidratos refinados, frutas e verduras contaminadas com pesticidas, agrotóxicos e metais pesados, diminuimos algumas vias musculares anabólicas de síntese de proteínas, como MAP4k3, P13k PL e por fim m-TORc1. Isso ocorre pois o organismo entra em “modo de defesa” e começa a usar as proteínas para fazer globulinas e outras celulas reparadoras, com a finalidade de “proteger” o corpo, diminuindo a síntese muscular.

4- Nutriente na hora errada:
 
alguns macro e micronutrientes tem hora para serem consumidos, principalmente para trabalhar em sinergismo com sua produção hormonal e otimizar sua performance.

5- Treino:
 Tanto a metodologia do treinamento quanto o horário do treino são indispensáveis. “Um bom treino de hipertrofia transforma 100g em 10kg e não 10kg em 100g” A intensidade do treino aumenta miocinas, fatores inflamatórios importantes e hormonios anabólicos que ajudaram no ganho de músculo. Aproveitar a curva de cortisol entre 9-16h além de aumentar seu rendimento, evitará com que você chegue no periodo noturno com altos niveis deste hormônio, prejudicando seus ganhos.

E aí? Tá fazendo o básico?

Até a próxima.
Dr. Pedro Andrade

Compartilhe essa postagem